Tratamento combinado de anticorpos monoclonais reduz hospitalização em pacientes de alto risco com COVID-19

ROCHESTER, Minnesota – Em um estudo observacional, pesquisadores da Mayo Clinic relatam que a combinação de casirivimabe e imdevimabe, dois tratamentos de anticorpos monoclonais sob autorização de uso emergencial da Food and Drug Administration, mantém pacientes de alto risco fora do hospital, quando infectados com COVID-19 leve ou moderada. Essas conclusões foram publicadas na revista médica EClinicalMedicine da The Lancet.

Cerca de 1.400 pacientes da Mayo Clinic participaram desse estudo: 696 que receberam a combinação de medicamentos entre dezembro de 2020 e início de abril, além de uma coorte idêntica que não recebeu o medicamento. O estado deles foi avaliado 14, 21 e 28 dias após o tratamento. Em cada momento, os números de hospitalização foram significativamente menores no grupo tratado.

No Dia 14, 1,3 por cento do grupo tratado estava no hospital, em comparação com 3,3 por cento dos que não foram tratados. No Dia 21, apenas 1,3 por cento do grupo tratado estava hospitalizado, em comparação com 4,2 por cento dos que não foram tratados. Ao fim dos 28 dias, apenas 1,6 por cento do grupo tratado estava hospitalizado, em oposição aos 4,8 por cento dos que não foram tratados. Isso se traduz em uma redução relativa entre 60 e 70 por cento nas hospitalizações entre os pacientes tratados. Dos que foram hospitalizados posteriormente, as taxas de admissão na UTI e a mortalidade foram baixas.

“Mais uma vez, esse estudo do mundo real sugere que quando os pacientes que têm um alto risco devido a uma gama de comorbidades contraem um caso de COVID-19 leve ou moderado, essa combinação de injeções monoclonais possibilita a eles uma oportunidade de recuperação fora do hospital. Em outras palavras, eles se recuperam em casa, em segurança”, disse o Dr. Raymund Razonable, especialista em doenças infecciosas da Mayo Clinic e autor sênior do estudo.

Em um estudo da Mayo Clinic publicado anteriormente no The Journal of Clinical Investigation as descobertas sugeriam que o uso de bamlanivimabe reduzia as hospitalizações em pacientes de alto risco entre 40 e 60 por cento. Esse estudo envolveu 2.335 pacientes tratados da Mayo Clinic entre novembro de 2020 e fevereiro. Comparando seus resultados com 2.335 pacientes não tratados, as taxas de admissão na UTI e mortalidade também foram significativamente menores com o tratamento com anticorpos monoclonais. Deve ser observado que em abril o FDA revogou nos EUA o uso apenas do bamlanivimabe e agora endossa o uso de anticorpos monoclonais combinados.

“Nossa conclusão geral no momento é que os anticorpos monoclonais são uma opção importante no tratamento para reduzir o impacto da COVID-19 em pacientes de alto risco”, disse o Dr. Razonable.

Esse estudo foi financiado e conduzido pela Mayo Clinic, em colaboração com a nference Inc.

###

Sobre a Mayo Clinic

A Mayo Clinic é uma organização sem fins lucrativos comprometida com a inovação na prática clínica, educação e pesquisa, fornecendo compaixão, conhecimento e respostas para todos que precisam de cura. Visite a Rede de Notícias da Mayo Clinic para obter mais informações sobre a Mayo Clinic. Para obter informações sobre a COVID-19, incluindo a ferramenta de rastreamento Mapa do Coronavírus (Coronavirus Map) da Mayo Clinic, que tem previsão de 14 dias sobre as tendências da COVID-19, visite o Centro de Recursos para COVID-19 da Mayo Clinic.